Cunhã-poranga do Caprichoso, Marciele Albuquerque se transforma em serpente e canta durante apresentação

Cunhã-poranga do Caprichoso, Marciele Albuquerque se transforma em serpente e canta durante apresentação

Durante a abertura da primeira noite do Festival de Parintins, a cunhã-poranga do boi Caprichoso, Marciele Albuquerque, concorrendo ao item 9, evoluiu no Bumbódromo, ao sair da alegoria de uma serpente durante a lenda ‘A Criação da Noite’, e no solo também se transformou em uma serpente. Marciele também cantou durante a apresentação dos Tuxauas, item 14.

Concorrendo ao item 17, o Caprichoso apresentou a primeira alegoria, intitulada “Dona da Noite”, durante a encenação da Lenda Amazônica.

A cobra grande é um elemento onipresente no imaginário local, raiz de uma cultura intricada com o meio ambiente.

Durante a apresentação, a Cobra Grande se abriu e a cunhã-poranga Marciele Albuquerque evoluiu na arena, concorrendo ao item 9.

Já durante a apresentação do item 14, Marciele Albuquerque soltou a voz acompanhando as tuxuauas.

Com informações Dia a Dia Noticia

redacao grande circular

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *